quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Volta a vida


“A vida é um mundo e todo mundo anda pra frente.”

Ana Lins

Tempo


“Um menino ilumina
O que um homem apagou
Um menino apagou,
Por que não era homem
“Era menino.”
Ana Lins

A Dor


Trevas de minha dor
Sucumbindo dentro de minhas entranhas
Suporto sua presença
Quando vem sem me avisar
Até quando a carregarei comigo
Me sepultas em cada facada
Lutarei contra minha própria dor
Que dói não mais só dentro em mim
Dói na alma
Dor latente
Dor dilacerante
Dor que me transforma em gelo
Dor podre
De um vazio vasto
Dor
Dor que mata a cada instante
Dor que fez passar o medo
Dor minha companheira
Já a tenho aqui
Nas telas de minhas mais tristes lembranças
Na escuridão do vazio que ocupa o maior espaço em mim
Dor cruel
Dor do descaso
Da indiferença
Do abandono
Eu te sepultarei comigo
Em meus dias de solidão

Ana Lins

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

As flores da esperança

Sentimentos que o tempo leva
Sonhos de esperanças,
Se transformando em pedras de gelo
Vem inverno e tudo continuou como antes...
Veio a primavera e as flores que colhi,
Roubaram-me na janela
Meu pranto, meu encanto...
Atiro-me num mar de espelhos
Onde vi refletida toda minha dor
Soletrei seu nome...
E junto com o amargo das palavras
Descobri que não era amor, era medo...
Estou triste, só e vazio...

(As flores da esperança – Ana Lins)

domingo, 2 de agosto de 2009

O entardecer de um menino na praia...

Olha o passarinho!

Andei outro dia pelas ruas
E o que vi foram rostos
Rostos machucados pelo tempo
Mas não foi só o tempo
Foi o silêncio
Imagine...
Eu ontem andei pelas ruas
Tentando encontrar um sorriso
Não foi fácil
Os rostos deles sangravam
Com uma pálida aura tímida
Eu vi...
O impressionante que não foi só eu que vi
Alguém falou que isso é normal...
Penso:
Essa normalidade me mata a cada dia.
Eu ontem pensava na minha vida
E via outras vidas da janela de um ônibus
Eu queria encontrar naqueles rostos
Alguma lembrança mesmo simulada.
Encontrei...
Muitos rostos carregados pelo tempo.
Na sincronia dos fatos percebo
Que naquele dia eu vi
Vi o menino que sorriu.
Ainda tenho esperança
Quando me lembro daquele sorriso.
Eu hoje me lembro daquele dia
Lembro daquele caminho
Lembro daqueles rostos
E não esqueço aquele sorriso menino.



Ana Lins – 27 de julho de 2009

Voce II


Traz alma ao meu coração
Faz-me acreditar que tudo pode ser possível
Quando a razão me fez viver
Uma intensa permanência
Na expectativa do que pode acontecer na vida
Durante o tempo em que eu não sabia exatamente o que fazer
Poderia retribuir a você o bem que me faz
Proporcionando-lhe dias felizes e tranqüilos
Que esse sentimento não seja pouco
E que não passe tão rápido
Que seja intenso
Mágico e eterno
Na medida em que eu consiga dividir
Tudo que aprendi de melhor na vida
De modo que eu possa aprender com você também...

Ana Lins (2008)

Basta um momento


“Seguindo por ai,
Posso encontrar você, quem sabe!
Até ontém eu me preocupei com você.
Porem a situação que me encontro,
Não posso prever o que meu coração ira sentir.
Ele é tolo!”

Ana Lins (30/07/2009)

segunda-feira, 20 de julho de 2009

"Podem nos tirar as flores, mas nunca a primavera." (Eduardo Galeano)

Existência

Hoje percebo que me encontrei
Não vou mais me perder de mim
Sofrendo pelo que eu não entendo
Nem me fazer de vitima, é...
Hoje vi o quanto às vezes sou idiota.
De achar que estou indo pela direção certa,
Tropecei e cai no mesmo erro
Mas dessa vez foi diferente.
Eu subi o mais alto que eu podia alcançar,
E vi que não estava sozinha.
Peguei na primeira mão sem ver quem era
E lembrei,
Até onde meus sentimentos vão me levar
Já desci varias vezes e subi,
De degrau em degrau.
Não penso em mais nada
Quando me lembro da chuva que caia no telhado...
Estou vivendo.
Lembrei de quando eu tinha o céu
E de quando o frio era primavera...
Mesmo sem qualquer presença
Percebi que posso viver só.
E falei pra mim mesma:
Esse tempo vai passar,
Às vezes as flores abrem no jardim
Não é?

Ana Lins (20/07/2009)

sábado, 9 de maio de 2009

O amor maior


Não são plantinhas nem arvores, não são galhos nem raízes e nem frutos, embora escutasse em muitos lugares pessoas dizendo isso, rs rs
Isso por que nós mães sempre temos a mania de dizer que é bom quando eles são pequenos, temos sempre ali pertinho, pra cuidar e dar carinho...


Dia das mães esta chegando, e meu aniversário cai nesse dia tão especial. Queria deixar aqui minha expressão maior, da alegria que sinto de ser mãe.


Eu ainda tenho você
Qualquer hora que eu queira
Tenho você perto de mim
Você esta em mim
Eu estou em você
Somos um pedaço
Um do outro
E será assim pra sempre
Não importa onde estivermos
Não importa tempo ou distância
Estaremos sempre unidos
Em pensamento
Em sentimento
Nossos corações sempre terão
Um pedaço
Um do outro
Você é minha maior criação
É o melhor que tenho em mim
A maior parte
O maior amor que tenho
É você...

terça-feira, 28 de abril de 2009

Um casarão que fica de frente ao parque Passeio, na cidade do Rio de Janeiro no dia 22/10/2006, feita com uma Nikon D50.


Como esta a revolução fotográfica atualmente, tenho que me enquadrar nisso, essa é uma foto que trabalhei usando o photoshop. Estou tentando, um dia quem sabe, chego la, rs rs

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Amanhã sera melhor

Hoje quero ser um pouco louca, poeta e um pouco não sei o que. Hoje eu não quero varrer a casa, limpar os móveis e sair pra passear. Hoje quero acordar sedo e ver o sol nascendo, me embriagar num boteco. Hoje eu não vou tomar banho e nem lavar as louças que ficaram do jantar de domingo, não quero servir de empregada. E estou me lixando, pra qualquer um que venha a ler isso aqui, não goste. Hoje nem escovei os dentes, olhei no espelho e me espantei comigo mesma. Hoje o fósforo falhou e o fogão quebrou, e sai do cério varias vezes, e continuo aqui falando essas baboseiras. Hoje andei cinco km sem perceber nada que estava em minha volta. Foi difícil, por que tropecei no primeiro degrau da escada, que leva pra parte de traz da padaria. Hoje eu nem fiquei com fome, por que na verdade, a fome que eu tinha não era de nada que pudesse nutrir o meu estado físico. Hoje subi numa arvore e peguei uma fruta que estava madura no pé, salutarmente falando, não gosto de frutas, e essa estava amarga. Hoje nada me comoveu. Nem o vazio do amanhecer e nem a escuridão do céu, tudo estava imperfeito.

E pra terminar, ainda não jantei, o tempo mudou e continuo aqui.

E amanhã, nem sei se volto a ser eu...

sábado, 18 de abril de 2009

Dentro da barraca, é o que vem no pensamento...


Sou um touro feroz na mansidão do escuro

Sou o que se pode criar num azul de céu,num inebriar do amanhecer insólito

Sou a fuga do abandono dentro em mim. Embora Fuji de mim mesma algumas vezes.

Sou a aparição que não se pode comparar a qualquer momento

Estive ausente da vida e do tempo, que agora me empenho a seguir...

O amargor não me embriagou do movimento de meus passos.

Estúpida inveja,que não sucumbiu, por que veio?

E eu aqui, voraz, são e estúpido...

Mesmo assim, ainda ando calado.